terça-feira, 10 de dezembro de 2013

Frota de veículos de Itaituba aumenta mais de 120% em 5 anos

Dados do Detran apontam que a frota de veículos de Itaituba cresceu em mais de cento e vinte por cento nos últimos cinco anos. São os efeitos de um novo impacto populacional que o município está recebendo.


Em toda sua história, o centro de Itaituba nunca recebeu tamanha quantidade de veículos de uma só vez como vem acontecendo agora e com uma frequência cada vez maior. Um levantamento feito pelo Departamento de Trânsito do Estado identificou um crescimento na frota de veículos que encaminha o município para um verdadeiro caos no trânsito se não forem tomadas medidas preventivas para organizar o setor.

Dados do Detran dão conta de que, entre janeiro e setembro deste ano, foram licenciados, só em Itaituba, 3.853 veículos. O mesmo estudo apontou que, no período entre 2009 e 2013, a frota de veículos licenciados em Itaituba cresceu em mais de 110%. E as projeções do órgão de trânsito não são nada otimistas, apontando que o número atual de veículos pode dobrar nos próximos quatro anos.


O diretor regional do Detran, Emanoel do Livramento Pires Junior, divulgou dados expressivos sobre as estatísticas da frota de veículos automotores, identificando uma situação que preocupa, principalmente pela falta de estrutura, tanto na sinalização das vias de acesso quanto dos próprios organismos de fiscalização e controle de tráfego.

Nos últimos dois anos, a cidade perdeu parte da sinalização semafórica e as poucas vias sinalizadas tiveram sua malha viária danificada pelo tráfego pesado e pela ação do tempo, com poucas obras de recuperação. Os veículos ficam amontoados de forma desorganizada e já representam um grande risco para a segurança no trânsito. A desobediência à sinalização remanescente é alarmante. Nem mesmo os espaços para estacionamento de deficientes são respeitadas. 

Não existem faixas de pedestre e, em alguns cruzamentos, o sinal não funciona, como aqui, na esquina da Justo Chermont com a Hugo de Mendonça, em pleno centro comercial, onde um problema puxa o outro. Boa parte dos carros estacionados na zona central pertence aos comerciantes. Os clientes se quiserem estacionar, têm que procurar por até dois ou três quarteirões.

O diretor do Detran fala sobre redimensionamento. Ele já fez uma solicitação à Direção Geral do órgão e espera cooperação do município e da própria União, como um reforço para evitar um verdadeiro colapso no trânsito.

(Texto: Mauro Torres/Tapajós em Foco)

Nenhum comentário:

Postar um comentário