sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Ibama apreende mais de 500 cabeças de gado em área embargada no Pará



Mais de 500 cabeças de gado foram apreendidas pelo Instituto do Meio Ambiente dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), em uma área de floresta amazônica ilegalmente desmatada e já embargada pelo instituto desde 2009, em Novo Progresso, no sudoeste do Pará. A ação, que iniciou no último dia 18, deve encerrar no dia 15 de novembro, com novas apreensões de gado.


De acordo com o chefe de fiscalização do Ibama no Pará, Paulo Maués, quando o desmatamento foi identificado, em 2009, o Ibama proibiu as atividades no local. No entanto, o embargo foi desrespeitado.

“As áreas são desmatadas ilegalmente, exclusivamente para a criação de gado. São áreas na União ou do Estado, griladas. As pessoas fazem grilagem para desmatar e criar gado”, explica o chefe da fiscalização.

“Essas pessoas vivem da ilegalidade. Elas ainda não foram identificadas, mas já passamos as  marcas do gado para a Adepará e vamos autuar os proprietários. O importante é causar prejuízo ao infrator, mostrando que não vale a pena criar gado em área embargada. Mais cedo ou tarde Ibama vai fazer a apreensão”, afirma Maués.

Doação
Todo o rebanho foi retirado da área embargada para evitar a continuidade do dano à vegetação nativa. Com a finalização do procedimento de apreensão nesta sexta-feira (25), o Ibama vai doar o gado apreendido.

“Vamos doar para duas prefeituras do interior do Pará, para serem aplicados em programas de alimentação de escolas e creches”, explica o chefe da fiscalização. A área desmatada ficará em “repouso”, sem atividade nenhuma, aguardando a regeneração natural, que ocorre dentro de muitos anos.
(G1/PA)

Nenhum comentário:

Postar um comentário