segunda-feira, 8 de abril de 2013

Representantes do Governo Federal pautam hidrelétricas no Tapajós


Representantes do Governo Federal estiveram em Belém nesta segunda-feira (8) para apresentar os estudos ambientais que estão sendo feitos no Rio Tapajós. O governo pretende construir na região as hidrelétricas São Luiz do Tapajós e Jatobá. Pesquisadores estão coletando dados sobre a fauna e flora da margem do rio até 5 quilômetros mata adentro. O levantamento é necessário para saber se é possível instalar as usinas nessa área.


“Esses estudos são importantes, se ao final chegarmos à conclusão que é viável e isso vai acontecer quando o relatório for concluído, alguns programas deverão ser feitos para que efetivamente saia o empreendimento”, disse Francisco Romário Wojcicki, secretário executivo adjunto do Ministério de Minas e Energia.

A pesquisa na região deve durar 30 dias. O material vai ser analisado pelo Ibama e pelo Instituto Chico Mendes de Conservação e Biodiversidade (ICMBio).  Os estudos ainda não estão concluídos, mas já provocam polêmica.

Na semana passada, índios Munduruku estiveram no Ministério Público Federal reclamando da presença dos pesquisadores e dos policiais que dão apoio as equipes. Segundo os indígenas, atividades como a caça e a pesca foram prejudicadas, e há risco de confronto.
O Ministério Público Federal (MPF) entrou na Justiça pedindo a suspensão dos estudos.  A Eletrobrás, empresa que está fazendo a pesquisa, diz que os índios serão ouvidos em uma audiência ainda esta semana.

“O diálogo com os indígenas é uma busca incessante, para o entendimento entre todos os segmentos da sociedade. E obviamente, a etnia Munduruku é fundamental para fazermos estudos para esses empreendimentos”, disse  Valter Cardeal, diretor de geração da Eletrobras.O MPF aguarda decisão da justiça sobre os estudos na região do Tapajós.
(G1/PA)

Nenhum comentário:

Postar um comentário